Show Viva 2014

zf_pagina_site

Apresentações trazem os resultados de dez meses de trabalho intensivo dos Cursos de Expressão de Voz de São Paulo e Belo Horizonte

Aprender música, soltar a voz e descobrir o som que vive escondido e pedindo para ser dito pela própria alma. E depois comemorar, subindo ao palco para “contar cantando” o que se aprendeu. Assim é o Show Viva!, que chega ao seu segundo ano, colhendo o resultado desse trabalho que Ziza Fernandes faz com seus alunos durante dez meses consecutivos.

Serão duas apresentações: uma no dia 08 de dezembro, em São Paulo às 21h00, no Teatro Grande Otelo e outra dia 14 de dezembro, em Belo Horizonte, às 20h30 no Teatro Dom Silvério.

“Neste ano de 2012, acontecerá uma apresentação totalmente nova e uma participação ativa e criativa dos alunos em todos os aspectos do show”, explica Ziza.“Uma produção em conjunto, num processo humano intenso, que contará com presenças queridas para os alunos”. Uma referência aos convidados especiais Maninho (Porto Alegre/RS) e Vinícius Del Bianco (Franca/SP) que dividirão o palco com os alunos e também com a professora, dessa vez, em vestes de cantora.

Oficina Viva

Ela começou pequena, como um curso de apoio para cantores, na sobreloja de uma livraria em São Paulo. Aos poucos, a Oficina Viva foi tomando corpo, e hoje é um projeto em ampla ascensão, com Cursos de Expressão de Voz em São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, e Oficinas que acontecem até nos EUA.

Por trás desse sucesso, a dedicação amorosa de uma cantora que, sendo também musicoterapeuta, se lançou à missão de compartilhar experiência e lapidar o talento bruto de cantores brasileiros. “Cada pessoa tem o seu tom, cada voz, a sua exclusividade e cada sentimento, a sua verdade”, explica Ziza. “E a Oficina Viva é isso: uma busca do timbre próprio de cada ser humano através da beleza, da bondade e da verdade”.

Cursos de Expressão & Voz

Mais do que um curso de canto, o Curso de Expressão de Voz da Oficina Viva se preocupa com a formação cultural e humana de pessoas, em sua maioria, acostumadas a cantar nas igrejas. Daí, além da teoria e técnica musical (raras, num país de cantores intuitivos), o curso vai fundo no estudo da MPB e seus compositores, além de fornecer o estímulo de inúmeras referências: de livros de literatura, a filmes e séries de TV. Acredite ou não, Ziza ensina a cantar até assistindo séries policiais como CSI ou filmes como “A Pequena Sereia”.

Um método bem-sucedido, que é aplicado uma vez por mês, de forma intensiva, em São Paulo, Belo Horizonte e Brasília. E que foca na partilha: de conhecimento, de vivência e de experiência. “Os alunos se tornaram amigos, espalhados por salas e mais salas. Ouvidos e mais ouvidos de cantores sedentos, não apenas da música mas do bem que ela traz para a alma e do poder que a verdade ganha quando expressa através da beleza da voz”, declara, apaixonada, Ziza.