Histórias pra Contar – Storytelling para o trabalho e a vida

Desde o início da humanidade, as histórias têm sido usadas para passar adiante o que de melhor vivemos ou aprendemos no curso da vida. São elas que nos alertam, nos inspiram, nos sustentam. Ainda assim, nem sempre conseguimos ver com clareza a nossa própria história. Nem conseguimos encontrar nela – e nos seus acontecimentos – um sentido que nos ajude a seguir adiante. Falar de histórias é falar da vida e de seus desafios, de encarar a verdade dos fatos e encontrar força e significado neles. Tanto nas histórias que contamos aos outros. Quanto nas histórias que contamos a nós mesmos. Nesse curso falaremos sobre storytelling, a arte de contar de histórias, aprendendo as suas ferramentas tanto para usá-las na vida profissional, quanto como instrumento de autoconhecimento e transformação pessoal.

O que você vai aprender com este curso

Somos feitos de histórias. Somos feitos para ouvir histórias.

Somos parte da história da nossa família. Somos parte da história do nosso tempo. Cruzamos a nossa história com a história de outras o tempo todo. Não há civilização nem religião conhecida que não se baseie numa história. Nesse módulo falaremos sobre como as histórias fazem parte da vida humana e de como as pessoas são biologicamente preparadas para gostar de Netflix. História para contar: a de Sherazade e de como ela salvou a própria vida e a de muitas mulheres contando histórias.

Quebrar as resistências. Conquistar os corações.

Nascemos criativos e vamos sendo desencorajados a criar ao longo da vida. Ainda assim, continuamos criando. Por prazer, por estratégia, por sobrevivência. O valor da criatividade na Ciência, na vida pessoal e na resolução de problemas. Restrição e criação. A medida da inovação. A construção de um universo de referências. História para contar: uma criação coletiva.

O conflito como base das histórias. O conflito como convite à transformação na vida.

Não há história sem conflito. Como não há vida sem (enormes) desafios. Contar histórias é sobre como olhar os problemas, por maiores que sejam, como oportunidades de crescimento.  Personagens e pessoas tendem a inércia. Falar de histórias é falar do movimento que algum conflito causa e de como o personagem (e a pessoa) crescem quando enfrentam o conflito de frente. Falaremos de zona de conforto e automatismo. Sobre o pecado de ser morno. O bloqueio da zona de medo e resistência. A zona de aprendizado e crescimento. História para contar: Viktor Frankl e a história que contou para si mesmo para sobreviver ao campo de concentração.

E falta só falar…

A diferença entre persona e personagem e para que servem no storytelling.

Nesse módulo falaremos da construção de um personagem, de uma persona e do personagem que construímos para nós mesmos. A persona como instrumento empático. O personagem como elemento de sedução. Qualidades, defeitos, desejo, ferida e superação. História pregressa e influência. Movimentos e externos. Conflito revela personagem. “Gostamos de um personagem não pelo o que acontece com ele, mas pelo o que ele faz com o que acontece com ele.” Vulnerabilidade e empatia. Os personagens que amamos. Os que detestamos. Que personagem temos sido? Que personagem gostaríamos de ser? História para contar: a Legenda Áurea e de como a Igreja recuperou fiéis reunindo as histórias dos santos.

O poder de transformação das histórias pessoais.

Felicidade, sofrimento, perdas e ressignificação fazem parte tanto da vida quanto das histórias. Como transformar em histórias de inspiração o vivido. A partilha. O relato em primeira pessoa. A narrativa de sentido. Construção da narrativa de sentido pessoal como ponte para um próximo capítulo da vida. Que história que você conta a si mesmo sobre o que aconteceu na sua vida? História para contar: a do rabino que perdeu todos os filhos no campo de concentração

Como começar, desenvolver e concluir uma história.

Modelos básicos para construir uma história. Tipos de história que podemos usar. Apresentação, complicação e resolução. A importância da apresentação, da antecipação e da recompensa. A divisão em atos. O paradigma de Syd Field e os pontos de virada. Desenho do mapa da história. Apresentação dos personagens e universo de uma história. Quais são as suas motivações e obstáculos. Ritmo e objetivo. Os segredos para manter a atenção do público até o final. Desenho do mapa da história. História para contar: qual história você está contando?

Qual é a sua aventura?

As estruturas míticas presentes na maioria das histórias e como podemos usá-las para construir histórias (e rever a nossa própria). A Jornada do Herói, e a transformação da comunidade. A Jornada da Heroína, e a mudança interior. A Promessa da Virgem e a coragem de brilhar. Qual é a sua aventura? Quais são os seus obstáculos (externos e internos)? Em que ponto da aventura você está? História para contar: Frozen, a princesa que não é salva pelo príncipe e tinha medo da sua própria força.

Essa história de falar em público

Fazer uma apresentação no trabalho, iniciar uma live do Instagram ou participar de uma conversa em um podcast é uma necessidade cada vez mais presente no mundo atual. Ainda assim, segundo uma pesquisa do “Sunday Time”, falar em público é o maior medo das pessoas, maior que ter problemas financeiros, ficar doente ou até morrer. Nesse módulo falaremos sobre como enfrentar o medo de falar em público. E como montar uma apresentação boa de ouvir, no formato TED, e os recursos que podemos usar para passar bem – sem passar mal – o que queremos dizer. História do dia: a de como Viktor Frankl descobriu que não tinha o direito de ficar calado

Histórias na fogueira

Ao final do curso, como nas velhas rodas em volta da fogueira, você vai vencer o medo e contar uma história pessoal. Narrativas de sentido para fazer rir, chorar e inspirar nosso público que será composto por nós, além de amigos e parentes convidados. Uma oportunidade para colocar em prática tudo o que foi aprendido durante os outros módulos do curso. E descobrir que, contar histórias, nada mais é do que compartilhar com os outros seres humanos a dor e a delícia de estar vivo.

Agenda

Online – Ao vivo Zoom

Datas – Quinta (20h30 às 22h00) – 02h30/aula

Carga horária: 12h

06/08 – AULA 1

13/08 – AULA 2

20/08 – AULA 3

27/08 – AULA 4

03/09 – AULA 5

10/09 – AULA 6

17/09 – AULA 7

24/09 – ENCERRAMENTO

Professor(a)

Maria Helena Alvim

Publicitária, roteirista e escritora, com trabalhos no Brasil e na Itália. Trabalhou como criativa em diversas agências de publicidade (Wunderman, Salve Worldwide, Iris, Babel Azza) e também como autora-roteirista na Rede Globo (Domingão do Faustão e Fantástico), Rede TV! (Zuzubalândia) e Record/FOX (Avassaladoras). Trabalhou ainda na Itália, na YAM112003, braço de novas mídias da Endemol International, onde criou diversos formatos e foi autora de Bonsai TV (Babel, Lost in Translation e Massimi Sistemi).  É professora de Roteiro e Storytelling no Guará Estúdio e do curso online História pra Contar, Storytelling para o trabalho e a vida da Oficina Viva. É formada em Publicidade e Propaganda pela ECA-USP (2001), fez a Oficina de Autor e Roteirista da Globo (1997), estudou Cinema e Enogastronomia no Media Food Lab (2006, Bracciano, Itália) e Produção Criativa na Scuola TV Mediaset (2007, Roma, Itália).